CRIME E VITIMAÇÃO – PÓLO UNIVERSITÁRIO – PORTO

Crime e Vitimação no Pólo Universitário da Asprela

De acordo com os resultados obtidos no estudo realizado pela equipa do OPVC da UFP,  40% dos estudantes universitários considera que Asprela não é uma zona segura, sendo o furto e o roubo os crimes mais observados. Roubo, furto, e agressão física são os crimes mais temidos. 15% da população estudantil foi vítima de crime naquela área. O estudo realizou-se em estreita colaboração com Comando Metropolitano de Polícia de Segurança Pública do Porto, e foi apresentado com a parceria da Câmara Municipal do Porto

Veja mais no Vídeo realizado e editado pelo

LABORATÓRIO DE TELEVISÃO da Universidade Fernando Pessoa

Aplicação Informática para Agentes de Segurança / OPVC-UFP

Aplicação Informática para Agentes de Segurança / OPVC-UFP

Crime and Victimization in the Universities area of Asprela

According to the results obtained in the study developed by OPVC team of UFP, 40% of students consider that Asprela is not a safe zone. Theft is the most frequent crime observed. Robbery, theft, and physical aggression are the most feared crimes. 15% of the student population was victim of crime in the Asprela area

See more in … Video developed and edited by

TV LAB / University Fernando Pessoa

Anúncios

DELINQUÊNCIA – PERCURSOS CRIMINAIS no Brasil

pt banner 1 OPVC – Universidade Fernando Pessoa representado no Brasil através de livro Delinquência – Percursos Criminais

… Foi o lançamento do livro da autoria de Laura M. Nunes e Jorge Trindade, no Brasil e, a 23 de Outubro, é o lançamento em Portugal, na Universidade Fernando Pessoa – Porto

10153237_10204596268882815_3996506062249010063_n 10262131_10204596273562932_7384115246740976430_n 10348609_10204596275922991_2166619161452370808_n

eng banner 1OPVC – Fernando Pessoa University represented in Brazil through the book  about Delinquency and  Criminal Pathways

… It was presented in  Brazil, and on 23 October is the presentation in Portugal, at the Fernando Pessoa University  – Oporto, Portugal

EM DESTAQUE… LINHA DE INVESTIGAÇÃO DO OPVC

MAIS UMA LINHA DE INVESTIGAÇÃO DO OPVC

COM UMA PUBLICAÇÃO INTERNACIONAL DE INVESTIGADORES DA UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA

Teresa Reis - Laboratório de Fotografia da UFP

Teresa Reis – Laboratório de Fotografia da UFP

Investigadores do OPVC – UFP apresentam modelo integrador que possibilite uma interpretação possível para a vitimação do indivíduo toxicodependente

O modelo apresentado resultou da necessidade salientada por investigadores de diversas nacionalidades, quanto à urgência de se atender à vitimação de populações específicas como a que apresenta dependência de drogas. Por isso, partiu-se de teorias que se dedicam à explicação da relação droga-crime para, a partir da sua interpretação conjugada com outras perspetivas, se apresentar uma possível análise do toxicodependente, já não apenas como eventual delinquente, mas também como indivíduo vulnerável à vitimação.

Several analyses on the drug-crime link have focused primarily on drug addicts as potential offenders. However, situations in which the addict is also a crime victim are not so rare, and recent analyses convey the need for more research and examination of the victimization of drug addicts as a phenomenon.  So, we explain the potential reasons why drug addicts are so vulnerable to victimization situations, and why there are no registers of these occurrences. Then, we review some models and theories about drug addiction, criminal behaviors and victimization, in order to construct an integrative approach that allows a deeper understanding of the drug addict victimization.

Em Destaque no OPVC…

UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA…

Recebe Professor Ray Bull, das Universidades Derby, Portsmouth e Leicester, para apresentar a conferência

“Research and Developments in the Interrogation of Suspects”

Laboratório de Fotografia da Universidade Fernando Pessoa

Laboratório de Fotografia da Universidade Fernando Pessoa

Na conferência, o Professor Ray Bull salientou:

One of the major assumptions underlying justification for the use of coercive interrogation techniques is the pervasive belief that

  • “…suspects almost never confess spontaneously …”

We must look at:

  • Reasons for coercion
  • Suspects’ views
  • Early revelation of evidence/information
  • The ‘PEACE’ approach

 

Report – Local Security Diagnosis (UN & UFP)

The idea to create model police stations emerged within the collaboration between the UN and Guinea-Bissau, as part of the project “United Nations Integrated Peacebuilding Office in Guinea-Bissau” (UNIOGBIS). Nevertheless, the creation of such police stations lacked an analysis that assessed perceptions of security/ insecurity, crime and incivility, victimization, fear of crime, and communitarian involvement of those specific populations.

Therefore, the project leaders approached and subsequently signed a protocol with the University Fernando Pessoa, through Mr. Deputy Commissioner of Public Security Police (PSP) Mário Moreira, who is currently working at Guinea as Police Administration Advisor within the UNIOGBIS.

Ana Sani and Laura Nunes developed the study, in collaboration with Cristiano Nogueira, Helder Fernandes, Ligia Afonso and Mário Moreira. The scientific report was already sent to the United Nations Organization.

%d bloggers like this: