Diagnóstico Local de Segurança (DLS) – Vila Nova de Gaia apresentado publicamente

Notícia DLS GaiaO Diagnóstico Local de Segurança (DLS) de Vila Nova de Gaia, desenvolvido no âmbito dos estudos do OPVC da UFP, foi apresentado ao público no passado dia 25 de Julho, no salão nobre da Junta de Freguesia de Santa Marinha.

Os resultados do estudo solicitado pelo Comando Metropolitano do Porto – PSP à Universidade Fernando Pessoa permitiram a apresentação de conclusões, que nortearão o esforço de adaptação que tem vindo a ser feito por aquela polícia, às especificidades da comunidade analisada.

O Comando Metropolitano do Porto – PSP, ombreado por outras polícias do panorama internacional, estabelece pontes com a investigação científica, a fim de se melhorar permanentemente.

Entre os resultados, destaque para:

Solicitação das populações, por forma a que haja mais segurança: mais policiamento, reabilitação urbana, menos incivilidades, menos poluição/ruído, mais educação e prevenção.

Crimes mais frequentes: furto, tráfico de drogas, roubo / Crimes mais temidos: roubo, assalto a residência, agressão física.

 

18 c

Entre as conclusões, destaque para:

Repensar espaços físicos por forma a prevenir o crime, criar condições para que se possa proceder ao empowement  da população, apostar na formação contínua de profissionais ligados à segurança, investir seriamente na prevenção através de programas implementados por equipas multidisciplinares, avaliar regularmente as comunidades para garantir um movimento de permanente adaptação de medidas favorecedoras da segurança das populações.

 

 

Anúncios

Apresentação Pública de Estudo do OPVC em Parceria com PSP

Apresentação Pública DLS de Gaia

O estudo foi desenvolvido pelas investigadoras Laura M. Nunes e Ana Sani, no âmbito dos trabalhos do Observatório Permanente Violência e Crime e em colaboração com o Comando Metropolitano do Porto – Polícia de Segurança Pública, tendo consistido na elaboração do Diagnóstico Local de Segurança  de Vila Nova de Gaia.

Os principais objetivos da investigação consistiram em obter um conhecimento mais profundo e, simultaneamente, mais alargado sobre as especificidades daquela comunidade, em termos de criminalidade e (in)segurança percebidas. Mais especificamente, procurou-se captar a perceção da população local, quanto aos aspetos seguintes:

  • Criminalidade presente e/ou temida;
  • Experiências de vitimação;
  • Atuação policial;
  • Envolvimento comunitário dos cidadãos;
  • Sentimentos de pertença relativamente à comunidade.

Entre os resultados, podem destacar-se os seguintes:

  • A população local refere a reabilitação dos espaços, o aumento do policiamento e a aposta na prevenção e na educação, como algumas das medidas que poderão contribuir para a sua qualidade de vida e, sobretudo, para o aumento da segurança naquela comunidade;
  • Os inquiridos apontaram o desemprego, a pobreza, o consumo de álcool e/ou drogas ilegais como alguns dos fatores que parecem favorecer a ocorrência de crimes na sua área de residência;
  • Entre os crimes mais temidos pelos participantes no estudo, destacaram-se o roubo e o assalto a residência e, entre os apontados como mais frequentemente observados, salientaram-se o furto, o tráfico de drogas e o roubo;
  • Os vários resultados obtidos permitiram a apresentação de algumas medidas práticas que poderão vir a ser adotadas, numa perspetiva preventiva.
%d bloggers like this: